Manual Trator Valtra BH 180

Manual Trator Valtra BH 180

(Parte 1 de 5)

Nœmero de sØrie do seu trator

Ao solicitar qualquer informaçªo sobre seu trator Valtra ao ConcessionÆrio, tenha sempre em mªos os seguintes dados:

N° de sØrie do tratorN° de sØrie do motor ...................................................
Data da compra/......../........... Nome do ConcessionÆrio ..............................................
Endereço

- 1 -

Tipo / Type

Nœmero do eixo dianteiro :

Nœmero da cabine:

Nœmero do motor:

C.N.P.J. 61.076.055 / 0001 - 70 FÆbrica em Mogi das Cruzes SP Indœstria Brasileira / Made in Brazil

SØrie N°

Índice principal

O Manual do Operador esta dividido em 12 partes principais, identificadas com as letras A, B, C...L. Estas partes sªo subdivididas em seçıes numØricas. HÆ quatro níveis de títulos. Por exemplo D.13 a letra D significa parte principal D. Instrumentos e controles . O primeiro nœmero 1 (ver índice de conteœdo) indica que Ø a seçªo de ilustraçªo dos instrumentos e controles, etc. No índice de conteœdo tem letras, nœmeros e pÆginas. Cada pÆgina exibe uma referŒncia da parte principal do manual conforme segue:

Andice de conteœdo detalhado............................................................ 6 - 7
BPrecauçıes de segurança.....................................................................8 - 13
CDescriçªo geral.....................................................................................14 - 24
DInstrumentos e controles...................................................................25 - 41
EPartida e funcionamento....................................................................42 - 4
FInstruçıes operacionais......................................................................45 - 5
G Plano de manutençªo56 - 62
H Operaçıes de manutençªo63 - 82
ITestes e ajustes.....................................................................................83 - 91
JEspecificaçıes tØcnicas......................................................................92 -104
K Equipamentos opcionais105 - 107
Indice alfabØtico..............................................................................108 - 109

pÆgina n.” - 2 -

Para o operador

Este manual foi elaborado para proporcionar-lhe as informaçıes e instruçıes necessÆrias para sua utilizaçªo correta durante o amaciamento, operaçªo e manutençªo do seu trator. AlØm de apresentar-lhe as normas bÆsicas de segurança e os dados tØcnicos referentes as características construtivas do seu trator.

Antes de colocar o seu trator em funcionamento pela primeira vez, leia com atençªo todas as instruçıes contidas neste manual, principalmente as precauçıes de segurança.

A VALTRA DO BRASIL LTDA. , nªo se responsabiliza pelo destino dado aos óleos lubrificantes, liquido de arrefecimento e bateria usados, sendo de responsabilidade do proprietÆrio do trator conhecer as leis e normas de preservaçªo do meio ambiente vigentes.

Os serviços que requerem mªo-de-obra e ferramentas especiais, deverªo ser realizados pelo seu ConcessionÆrio VALTRA, o qual colocarÆ à sua disposiçªo, tØcnicos treinadospela fÆbrica e equipamentos necessÆrios para uma AssistŒncia TØcnica adequada.

A VALTRA DO BRASIL LTDA., reserva o direito de modificar ou aperfeiçoar qualquer peça ou agregado do trator a qualquer momento e sem prØvio aviso, sem que a

VALTRA DO BRASIL LTDA. ou seus CONCESSIONRIOS se envolvam em responsabilidade ou compromisso de qualquer natureza para com o comprador de tratores anteriormente fabricados.

Todas as ilustraçıes contidas neste manual tem valor meramente ilustrativo.

Ao utilizar o seu trator em qualquer circunstância, vocŒ deve sempre seguir todas as leis e regulamentos vigente de seu país, mesmo que estas nªo estejam descritas neste manual.

- 3 -

- 4 -

A Valtra do Brasil Ltda., empresa instalada na cidade de Mogi das Cruzes SP, estÆ comprometida em desenvolver, produzir e comercializar produtos destinados a atender as necessidades de mecanizaçªo da agroindustria nos mercados interno e externo, considerando e implementando as mais adequadas alternativas, visando a segurança e saœde do trabalho e a preservaçªo do Meio Ambiente.

Nossos Compromissos

empresa e a remuneraçªo dos seus acionistas.

Obter a rentabilidade necessÆria ao desenvolvimento das atividades da

o propósito de aumentar a sua satisfaçªo.

Atender nossos clientes atravØs do cumprimento dos seus requisitos,com

colaboradores e valorizÆ-los de acordocom resultados.
Fortalecer a parceria com nossos fornecedores e concessionÆrios.

Promover a capacitaçªo e o desenvolvimento contínuo de nossos

externa, desenvolvendo e fortalecendo suas açıes sociais e mantendo
canais permanentes de comunicaçªo.

Assumir compromisso e ser pró-ativo com a comunidade interna e

serviços, visando a reduçªo no consumo de recursos naturais e adotando
prÆticas de prevençªo da poluiçªo.

Respeitar o Meio Ambiente, desenvolvendo nossas atividades, produtos e

procurando manter a salubridade dos ambientes de trabalho.

Prevenir a ocorrŒncia de riscos a Seguraça e Saœde Ocupacional ,

Ocupacional e outros requisitos subscritos pela organizaçªo e melhorar
continuamente a eficÆcia dos Sistemas de Gestªo.

Atender aos requisitos legais aplicÆveis ao Meio Ambiente , Segurança

Valtra do Brasil Ltda.

Werner Santos Diretor PresidenteMaio 2005

Política da qualidade

Política da Qualidade, Meio Ambiente, Segurança e Saœde Ocupacional

- 5 -Política da qualidade

Sistema de Gestªo do Meio Ambiente

A Valtra do Brasil Ltda., visando colaborar com a melhoria contínua do Meio Ambiente , descreve algumas recomendaçıes para que o ( dono ou operador) possa utilizar melhor o seu trator ,de modo que , evite danos e contribua com a Natureza , alØm de poder usar muito melhor o seu equipamento.

Efeito estufa: É o aumento da temperatura da terra devido ao acœmulo de gÆs carbônico (CO) e gÆs metano (CH)na atmosfera. O excesso de gÆs carbônico Ø produzido atrvØs de processos industriais, consumo de combustíveis fósseis e queimadas.

Reduçªo na camada de ozônio. O ozônio (O3) atua como um filtro solar nas camadas da atmosfera, protegendo-nos contra a açªo dos raios danosos . Alguns gases, como os clorofluorcarbonos (CFCs), utilizados na indœstria de refrigeraçªo, destroem a camada de ozônio, provocando um buraco . Como conseqüŒncia, estima-se que 100.0 pessoas em todo mundo apresentam câncer de pele, a cada ano.

Recomendaçıes aos clientes. 1 - Procure adotar prÆticas agrícolas adequadas, buscando um mínimo de agressªo ao meio ambiente;

2 - Utilize o seu trator com a mÆxima eficiŒncia possível, regulando corretamente os implementos, utilizando implementos adequados e operando nas condiçıes adequadas ( marcha, rotaçªo, velocidade...) conforme especificado no Manual;

3 - Tire o mÆximo proveito do seu trator, durante o maior tempo possível. Isto se consegue atravØs da manutençªo preventiva adequada;

4 - Faça o manejo integrado de pragas, que consiste em uma sØrie de procedimentos e no monitoramento da lavoura, aplicando defensivos agrícolas somente quando necessÆrio e na medida certa;

5 - Nªo permita quaisquer desperdícios de fertilizantes, sementes, defensivos, etc.;

6 - Evite queimadas, adotando prÆticas de cultivo adequadas, à exemplo do plantio na palha ou plantio direto;

7 - DŒ as peças e fluídos substituídos o destino previsto em lei.

Metais: A reciclagem dos metÆis oferece muitas vantagens. Cada tonelada de aço reciclado representa uma economia de 1140Kg de minØrio de ferro, 454Kg de carvªo e 18 Kg de cal.

Oleos fluídos: A utilizaçªo na lubrificaçªo do equipamento resulta em degradaçªo termoxidativa e acœmulo de contaminantes, o que torna necessÆria a troca. Jamais jogue óleo ou fluídos diretamente na naturez. Recolha-os e leve ao posto de combustíveis de onde comprou o produto. Os óleos podem ser rerefinados ou, em œltimo caso, incinerados em aterros industriais regularizados por lei.

Baterías: Abandonadas na natureza ,causam efeitos devastadores. Por isso, encaminhe as baterias usadas para empresas que fazem a reciclagem das mesmas ou devolva -as ao respectivo fornecedor, pois ele tem obrigaçªo de dar-lhes o destino previsto em lei.

Pneus: A geraçªo de energia e a recauchutagem foram as primeiras formas de reciclagem destes ítens. Com o avanço tecnológico surgiram outras alternativas de aproveitamento, como mistura para asfalto. Apesar do aumento do índice de recauchutagem, e que permite prolongar a vida œtil dos pneus em 40% , a maior parte dos pneus usados ainda sªo abandonados nos lixıes, beira de rios e estradas e atØ em quintal de casas, e isto tem sido o pricipal foco atraindo insetos transmissores de doença.

PlÆsticos: O petróleo Ø a matØria -prima utilizada na produçªo do plÆstico. O plÆstico quando reciclado, consome apenas 10% da energia necessÆria comparando se a produzir igual quantidade pelo processo convencional..

Assim como vidro, o plÆstico nªo Ø biodegradÆvel. Por isso, e pela sua crescente utilizaçªo, torna -se imprescindível a sua reciclagem.

Vidro: A sucata de vidro tem vÆrias aplicaçıes, como composiçªo do asfalto, produçªo de espuma e fibra de vidro, bijoterias e tintas reflexivas..

Papelªo: Uma tonelada de papelªo reciclado evita o corte de 10 a 12 Ærvores.

Desejamos: Boas prÆticas de agricultura

Valtra do Brasil Ltda.

Nœmero de sØrie do seu trator1
ndice principal2
Para o operador3
A ndice de conteœdo6
B Precauçıes de segurança8
B2Adesivos de precauçıes e de controles1
C Descriçªo geral14
C1 Motor14
C2Sistema de alimentaçªo com bomba rotativa14
C2.1 Bomba injetora rotativa ....................................... 14
C3 Transmissªo15
C3.1 Embreagem simples15
C3. 2 Embreagem dupla15
C3.3 Caixa de câmbio15
C3.4 Eixo traseiro15
C3.5 Multiplicador (opcional)15
C3.6 Eixo de traçªo dianteiro15
C4 Sistema hidrÆulico e de direçªo-standard16
C4.1Kit plantadeira pneumÆtica17
C4.2 Kit transbordo sem tríplice operaçªo.............. 18
C4.3 Kit transbordo com tríplice operaçªo.............. 19
C5 Tomada de potŒncia20
C6Sistema hidrÆulico de levantamento 3”ponto20
C7 Sistema de freio20
C8VÆlvula para hidrÆulico auxiliar............................20
C9Descriçªo geral - detalhes...................................21
C9.1 Lado esquerdo do trator21
C9.2 Lado direito do trator2
C9.3 Vista traseira do trator23
C10 Ar condicionado24
D Instrumentos e controles25
D1.1 Controles frontais25
D1.2Painel de instrumentos-Agroline........................26
D1.3Controles do lado direito................................27
D2 Controles e comandos28
D2.1 Banco do operador28
D2.2 Albertura da janela traseira28
D2.3 Abertura das janelas laterais28
D2.4 Controles do lado direito do teto28
D2.5 Controles frontais do teto29
D2.6 Trinco interno das portas29
D3 Controles e instrumentos30
D3.1Pedal da embreagem.....................................30
D3.2Alavanca da tomada de potŒncia...................30
D3.3Pedal do acelerador.......................................30
D3.4Alavanca do acelerador..................................31
D3.5 Pedais do freio31
D3.6Alavanca do freio de estacionamento...........31
D3.7 Alavanca de engate da traçªo dianteira32
D4Painel de instrumentos ........................................ .32
D4.1 Volante da direçªo ............................................... 32
D4.2 Interruptor das luzes do painel, faróis e
lanternas dianteiros.........................................32
D4.3 Interruptor dos faróis de trabalho.....................3
D4.4Chave de partida e parada do motor...............3
D4.5Comutador de direçªo, luz alta/baixa e buzina33
D4.6 Interruptor das luzes de advertŒncia3
D4.7 Interruptor do limpador do pÆra-brisa34
D4.8 Interruptor da luz intermitente rotativa34
D4.9Interruptor do limpador janela traseira............34
D4.10 Indicador do nível de combustível34
D4.1 Tacômetro... . ....................................................... 34
D4.12 Termômetro35
D4.13 Horímetro ............................................................ 35
D4.14 Luzes de aviso no painel.................................36
D4.15 Funçıes do display agroline............................... 38
D5 Controles de comando39
D5.1 Alavanca de comando do câmbio39
D5.2 Alavanca de grupo39
D5.3 Alavanca de seleçªo de marchas39
D5.4 Operaçªo com caixa de câmbio39
D5.5 Multiplidador40
D5.6 Pedal de bloqueio do diferencial40
D5.7 Sistema hidrÆulico de levantamento40
D5.8 Alavanca de controle de posiçªo40
traçªo........................................................................... 41
controle remoto (opcional) . .................................41
E Partida e funcionamento42
E1 Partida do motor42
E2 Paralisaçªo prolongada42
E3 Abastecimento de combustível43
E4Cuidados durante e após o trabalho43
E5Cuidados na direçªo do trator43
E6 Partida com bateria auxiliar4
E7 Desligando o motor4
F Instruçıes operacionais45
F1Uso da tomada de potŒncia45
F2Uso do gancho e barra de traçªo45
F3Reboque.............................................................46
F3.1 Tomada de reboque46
F3.2 Uso do reboque ..................................................... 46
F4 Sistema de trŒs pontos46
F4.1 Braços de levantamento superiores46
F4.2 Braço de acoplamento inferior47
F4.3 Estabilizadores telescópicos47
F5 Braço de ligaçªo superior48
F5.1 Uso do sistema de engates de 3 pontos48
F6.1Uso de implementos de penetraçªo49
F6.2Uso dos implementos largos50
F6.3 Uso de implementos de superfície50
F7VÆlvula de controle remoto ................................... 51
F8Uso do implemento.......... ....................................... 51
F8.1 Uso da vÆlvula reguladora de fluxo52
F8.2 Uso da vÆlvula reguladora c/ solenoide ........... 54
G Plano de manutençªo56
G1 Serviço56
abastecimento de óleo...................................56
G1.2 Lubrificaçªo com engraxadeira56
G1.3Plano de manutençªo e lubrificaçªo.............56
G1.4Inspeçªo de serviço após 100 horas.............57
G1.5Amaciamento do motor.................................57
G2Combustível e lubrificantes recomendados58
manutençªo preventiva59

A. ndice de conteœdo- 6 - D5.9 Alavanca de controle de velocidade de descida 41 D5.10 Alavanca de controle de sensibilidade da D5.1 Alavanca de comando das vÆlvulas de F6Acoplamento de implem.engate de 3 pontos...48 G1.1 Instruçıes gerais sobre verificaçıes e G3Tabela de serviço de lubrificaçªo e

manutençªo preventiva..................................60

G3.1 Tabela de serviço de lubrificaçªo e

manutençªo preventiva61
G3.3Tabela de serviço de lubrificaçªo e
manutençªo preventiva62
H Operaçıes de manutençªo63
H1 Filtro de ar ............................................................. 63
H1.2 Limpeza e troca de elementos filtrantes ....... 63

G3.2 Tabela de serviço de lubrificaçªo e A. Índice de conteúdo

J1Motor92
J1.2 Sistema de lubrificaçªo do motor92
J1.3 Sistema de combustível e filtro de ar92
J1.4 Sistema de arrefecimento93
J1.5 Sistema elØtrico93
J2 Transmissªo93
J2.1 Embreagem simples93
J2.2 Embreagem dupla93
J2.3 Caixa de câmbio93
J2.4 Velocidade (km/hora a 2300 rpm)94
J3 Transmissªo final94
J3.1 Freios94
J4 Tomada de potŒncia - 540 e 540 + 1000 rpm94
J5Eixo de traçªo dianteiro 4x495
J6 Eixo traseiro95
J7 Torque de aperto das porcas95
J8 Sistema de direçªo95
J9 Sistema HidrÆulico96
J9.1Força mÆxima de levantamento......................96
J10 Características dimensionais96
J11 Pesos kg97
J12 Carga e pressªo de pneus97
J13Cabine climatizada...................................................... 98
J14Equipamentos opcionais........................................... 9
J15Esquema elØtrico....................................................100
J15.1 Esquema elØtrico101
J15.2 Lista do equema elØtrico102
J15.3 Placa de ligaçªo do sistema elØtrico.............. ...103
J15.4 Funçªo dos pinos conectores.......................... 104
K Equipamentos opcionais105
K1VÆlvula para hidrÆulico auxiliar105
K2Tomada de corrente para reboque105
K3 Ar condicionado105
K3.1 Verificaçªo do ar condicionado106
K3.2 Condensador106
K4Remoçªo da cabine ................................................. .106
ndice alfabØtico108 e109

A. ndice de conteœdo- 7 -

H Operaçıes de manutençªo63
H1 Filtro de ar63
H1.2 Limpeza e troca de elementos filtrantes .......... 63
H2 Reservatório do líquido de arrefecimento64
H4 Verificaçªo do nível de óleo do motor65
H4.1 Troca de filtro e óleo do motor65
H5 Verificaçªo do nível do líquido de arrefecimento6
H5.1 Limpeza do sistema de arrefecimento.............67
H6 Verificaçªo do turbo alimentador67
H7 Verificaçªo e limpeza dos bicos injetores68
H8 Verificaçªo e ajuste da folga das vÆlvulas68
H9 Drenagem do prØ filtro de decantaçªo69
H9.1 Limpeza do prØ filtro de decantaçªo70
H10 Troca dos elementos do filtro de combustível70
H10.1.Limpeza do filtro do tanque de combustível70
H10.2 Sangria do sistema de combustível................ 70
H10.3 Sangria do filtro de combustível.....................70
H10.4 Sangria da bomba injetora70

A. Índice de conteúdo H3 Limpeza da tela, mÆscara, e colmeia do radiador..64

de levantamento , direçªo, caixa de câmbio ........ 71
H11.1 Verificaçªo do nível do óleo hidrÆulico71
H11.2 Troca do filtro e do óleo lubrificante.................71
câmbio e do hidrÆulico........................................71

H11 Verificaçªo do nível de óleo do sistema hidrÆulico H12 Verificaçªo da tampa de respiro da caixa de

H13 Troca do óleo do hidrÆulico72
hidrÆulico.............................................................73
sistema hidrÆulico................................................73
H17 Verificaçªo do nível de óleo do diferencial74
H17.1 Troca de óleo do diferencial e do eixo
dianteiro..........................................................74

H15 Troca do elemento filtrante da caixa de câmbio.73 H16 Troca do elemento filtrante de pressªo do

dianteira..........................................................74
H18 Verificaçªo do nível do óleo das planetÆrias75
H18.1 Troca do óleo lubrificante das planetÆrias75
H19 Lubrificaçªo do feltro do mancal da bucha guia76
H20 Lubrificaçªo dos mancais e articulaçıes76
H21 Lubrificaçªo do rolamento do eixo traseiro7
H22 Lubrificaçªo do sistema de trŒs pontos7
H23 Lubrificaçªo dos cilindros de levantamento7
H24 Lubrificaçªo do excŒntrico do freio7
H25 Verificaçªo das capa protetoras78
H26 Limpeza do filtro de ar da cabine78
H26.1 Limpeza do filtro de recirculaçªo..................... .78
H27 Troca de fusíveis79
H28 Verificaçªo do nível de fluído do freio79
H28.1 Sangria/ e ou limpeza do circuíto hidrÆulico .. 80
garfo do freio.............................................................. 80
H30 Verificaçªo dos terminais de bateria80
H30.1 Remoçªo da bateria ......................................... 81
H31 Inspeçªo e manutençªo do cinto de segurança .81
H32 Verificaçªo geral do aperto das abraçadeiras81
H33 Verificaçªo do sistema de ar condicionado82
I Testes e ajustes83
I1Regulagem da alavanca da traçªo dianteira83
I2Verificaçªo e regulagem da correia do
alternador.................................................................. .83
I3 Regulagem do acelerador83

H17.2 Limpeza do respiro do eixo da traçªo H29 Verificaçªo das capas protetoras do

da embreagem84
serviço......................................................................... 84
de serviço85
I7 Ajuste do freio de estacionamento85
I8 Verificaçªo do aperto das porcas das rodas86
I9 Verificaçªo da pressªo de inflaçªo dos pneus86
I9.1 Instruçıes para escolha da pressªo dos pneus.... 86
I10 Verificaçªo das condiçıes de carga do alternador87
I 1 Verificaçªo do funcionamento motor de partida87
I12 Ajuste da bitola dianteira8
I12.1 Ajuste batente do eixo da traçªo dianteira.......... 8
I13. Ajuste da convergŒncia das rodas89
I14 Ajuste da bitola traseira89
I15 Ajuste dos suportes dos estabilizadores90
I16 Lastreamento do trator90
I17 Regulagem dos faróis dianteiros91
I18 Banco do operador91

I5Verificaçªo do curso livre dos pedais do freio de I6 Regulagem do curso livre dos pedais do freio J Especificaçıes tØcnicas ................................ 92

Esta seçªo resume as principais precauçıes de segurança que deverªo ser seguidas pelo operador quando trabalhar com o trator. No entanto, estas precauçıes de segurança nªo isentam o operador de conhecer e cumprir as leis de trânsito e regulamentos de segurança aplicÆveis aos diferentes locais de trabalho.

As palavras como PERIGO, PRECAUO, ATENO e ADVERTNCIA acompanhadas do simbolo, abaixo, sªo usadas em diferentes situaçıes de alerta para proteger as pessoas, o trator ou implementos.

podem resultar grande dano; mal iminente ou
alto risco.
PRECAUO! Indicada para situaçıes que
demandam cautela; prevençªo; perigo ou
danos.

PERIGO! Indicada para situaçıes que

ATENO ! adverte sobre situaçıes que necessitam cuidado, que podem provocar danos ao trator ou implemento, e que podem tambØm causar danos pessoais.

B. Precauçıes de segurança

ADVERTNCIA! aviso importante sobre uso correto do trator seus implementos ou para sua proteçªo.

B 3.PRECAUO – Nunca ligue o motor, ou

deixe funcionando em recintos fechados os gases expelidos pelo escapamento sªo venenosos, ContØm monóxido de carbono.

B 2. Freios - Verifique sempre o funcionamen- to correto dos freios antes de deslocar o trator. Os pedais do freio devem estar travados um ao outro quando transitar em estradas. Os freios devem ser ajustados quando necessÆrio. Se tiver que efetuar reparos no sistema de freio, estes devem ser realizados somente por tØcnicos do seu ConcessionÆrio VALTRA. Quando colocar lastros ou implementos na parte dianteira do trator, a tendŒncia Ø diminuir a carga no eixo traseiro. nesta circunstância, o operador deve verificar se os freios traseiros funcionam eficientemente.

B 4PRECAUO – Se o trator capotar,

mantenha as mªo no volante. Nunca tente saltar do trator.

- 8 -

B 5. Nível de ruído A operaçªo com este trator, em condiçıes de carga parcial ou total, expıe o operador a um nível de ruído contínuo ou intermitente, superior a 85 db. (A), medido conforme procedimento da Norma ABNT NBR 9. De acordo com a legislaçªo em vigor NR-15 Anexo n.” 1, (Portaria n.”3.214, de 8.6.78), o operador deste trator deve utilizar durante a jornada de trabalho equipamento de proteçªo individual E.P.I., (Protetor Auricular), que pode ser tanto o abafador de ruído tipo concha como o de inserçªo tipo plug .

B 6. Crianças e trator Nunca permita a presença de crianças próximas do trator ou perto do implemento, enquanto o motor estiver funcionando. Deixe sempre o implemento abaixado, ao nível do solo quando estacionar o trator.

B 7. Passageiros - Nenhuma pessoa poderÆ trafegar no trator, a menos que o trator esteja equipado com um assento especial. Por exemplo, NˆO É PERMITIDO transportar pessoas montadas nos carregadores frontais e nos estribos.

B 8Manutençªo – O operador Ø responsÆvel

pelo cumprimento das instruçıes de manutençªo constantes neste manual. Nªo efetue nenhum trabalho de manutençªo no trator ou no implemento sem que o motor esteja desligado e o implemento abaixado ao solo.

B 9. Uso do trator Nªo empreste o trator a pessoas que nªo estejam habilitadas a conduzi-lo. VocŒ serÆ o responsÆvel por qualquer acidente.

B 10. Luzes Certifique-se sempre de que as luzes e os refletores encontram-se limpos e em perfeito estado de funcionamento. Nªo se esqueça de que os faróis dianteiros deverªo estar corretamente ajustados.

B 1. Velocidade de funcionamento Adapte a velocidade do trator de acordo com a superfície a percorrer, como tambØm, as condiçıes de visibilidade e a carga a ser transportada. Evite freadas ou aumento brusco na velocidade de funcionamento, bem como curvas fechadas em alta velocidade. Isto poderÆ causar tombamento da carga ou capotamento do trator.

Atençªo: A velocidade mÆxima do trator nªo deve ser alterada. A mÆxima velocidade para frente Ø de 40 km/h e para trÆs Ø de 20 km/h.

B 1Este símbolo, utilizado junto a

B. Precauçıes de segurança certas descriçıes e instruçıes neste manual,tem o sentido de chamar à atençªo sobre certos pontos onde serÆ necessÆrio um cuidado extra para prevenir acidentes pessoais ou danos ao trator.

B 16. Carga do reboque Quando usar reboque a carga deve ser devidamente acondicionada. A carga nªo deve obstruir a visªo do operador ou cobrir as luzes e refletores. Se a carga projetar em mais de um metro para trÆs do reboque, a mesma devera ser corretamente sinalizada. Durante o dia a sinalizaçªo deverÆ ser feita com uma bandeira, e à noite, atravØs de uma luz vermelha ou de refletores.

B 17. Carregador frontal Quando utilizar um carregador frontal, nªo deixe que ninguØm fique por perto da Ærea de trabalho. HÆ perigo do trator capotar quando a carga for elevada. O operador deverÆ deixar o carregador ao nível do solo antes de estacionar o trator. As instruçıes fornecidas pelo fabricante tambØm devem ser cumpridas para evitar acidentes.

B 18. Danos O operador Ø responsÆvel por danos que ocorram por uso indevido do trator e que possam comprometer o uso seguro do mesmo.

Nunca transporte cargas que superem o próprio peso do trator. Para tanto, a carreta deverÆ ter seu próprio sistema de freio. Na operaçªo em rampas e terrenos acidentados tenha em mente a possibilidade da parte dianteira levantar-se e provocar a perda de estabilidade do trator, principalmente quando se transporta equipamentos ou implementos pesados. Se for necessÆrio, utilize contrapesos dianteiros para equilibrar o trator.

B 15. Reboque O reboque só deve ser engatado na barra de traçªo do trator. Verifique se os freios do reboque estªo funcionando corretamente e siga as instruçıes dadas pelo fabricante do reboque.

B 23. Declives Sempre que possível, evite trabalhar com o trator perto de valetas, declives e buracos. Reduza a velocidade ao fazer curvas em superfícies acidentadas, escorregadias ou lamacentas. Mantenha-se afastado de declives muito acentuados para permitir manobras seguras. Nunca desça uma rampa com a caixa de câmbio em ponto morto. Utilize as marchas reduzidas. Nunca tente trocar de marchas num declive. Troque para marcha reduzida antes de iniciar a subida ou descida.

B 2. Em declive Nunca dirija em declive com a alavanca de mudanças na posiçªo neutra e nem com o pedal de embreagem acionado. Verifique os freios regulamente. Os pedais de freio devem ser travados um ao outro quando dirigir em estradas. Reduza sempre para uma marcha inferior antes de

B 21. Contrapesos dianteiro Quando transitar por uma estrada, pelo menos 20% do peso bruto do trator deve estar apoiado no eixo dianteiro, a fim de garantir a estabilidade da direçªo. Deve-se utilizar um nœmero suficiente de contrapesos. Estes devem ser montados apenas nos locais designados para este propósito.

B 20. Bloqueio do diferencial O bloqueio do diferencial só deve ser usado quando trabalhar sobre terrenos fofos ou escorregadios. Nunca manobre em uma superfície firme com o bloqueio do diferencial engatado. O bloqueio do diferencial deverÆ ser sempre desengatado quando manobrar.

B 19. Funcionamento Verifique sempre, antes de conduzir ou transitar em estradas, as condiçıes de segurança do trator. Os espelhos retrovisores traseiros devem ser corretamente ajustados de forma a oferecer o ângulo de visªo correto antes de iniciar a marcha. Ao rebocar um implemento cujo centro de gravidade esteja localizado a uma distância significativa atrÆs do trator, o operador deve lembrar que poderÆ ocorrer oscilaçıes nas curvas

(Parte 1 de 5)

Comentários