(Parte 1 de 8)

Autor: Florisbela Zatycko

UML Unified Modeling Language

Florisbela Zatycko

1. Introdução

O desenvolvimento de sistemas de software de grande porte são suportados por métodos de análise e projeto que modelam esse sistema de modo a fornecer para toda a equipe envolvida (cliente, analista, programador, etc.) uma compreensão única do projeto. A UML (Unified Modeling Language) é o sucessor de um conjunto de métodos de análise e projeto orientados a objeto (OOA&D). A UML está, atualmente, em processo de padronização pela OMG (Object Management Group). A UML é um modelo de linguagem, não um método. Um método pressupõe um modelo de linguagem e um processo. O modelo de linguagem é a notação que o método usa para descrever o projeto. O processo são os passos que devem ser seguidos para se construir o projeto. O modelo de linguagem é uma parte muito importante do método. Corresponde ao ponto principal da comunicação. Se uma pessoa quer conversar sobre o projeto, como outra pessoa, é através do modelo de linguagem que elas se entendem. Nessa hora, o processo não é utilizado. A UML define uma notação e um meta-modelo. A notação são todos os elementos de representação gráfica vistos no modelo (retângulo, setas, o texto, etc.), é a sintaxe do modelo de linguagem. A notação do diagrama de classe define a representação de itens e conceitos tais como: classe, associação e multiplicidade. Um meta-modelo é um diagrama de classe que define de maneira mais rigorosa a notação. Neste trabalho, será apresentada a notação UML através de algumas definições e exemplos.

2. Comportamento do Sistema

O comportamento do sistema é capturado através de análise de casos de uso do sistema chamados “Use Case”.

Descrição informal do sistema automatizado de Matrícula num Curso

No início de cada semestre os alunos devem requisitar um catálogo de cursos contendo os cursos oferecidos no semestre. Este catálogo deve conter informações a respeito de cada curso tais como: professor, departamento e pré-requisitos. Desse modo, os alunos podem tomar suas decisões mais apropriadamente. O novo sistema permitirá que os alunos selecionem quatro cursos oferecidos para o próximo semestre. Além disso, o aluno indicará dois cursos alternativos, caso o aluno não possa ser matriculado na primeira opção. Cada curso terá o máximo de 10 e o mínimo de 3 alunos. Um curso com número de alunos inferior a 3 será cancelado. Para cada matrícula feita por um aluno, o sistema envia informação ao sistema de cobrança para que cada aluno possa ser cobrado durante o semestre.

Os Professores devem acessar o sistema “on line”, indicando quais cursos irão lecionar. Eles também podem acessar o sistema para saber quais alunos estão matriculados em cada curso. Em cada semestre, há um prazo para alteração de matrícula. Os alunos devem poder acessar o sistema durante esse período para adicionar ou cancelar cursos.

Diagrama de“Use Cases” para um sistema automatizado de Matrícula num Curso

Definição Diagrama de “Use Case”: É um diagrama usado para se identificar como o sistema se comporta em várias situações que podem ocorrer durante sua operação. Descreve o sistema, seu ambiente e a relação entre os dois. Os componentes deste diagrama são os atores e os “Use Case”.

A notação usada pelo Diagrama de “Use Case” é:

Professor

Selecionar curso para ensinar

Pedir lista dos matriculados

Gerenciar Manter informação

Manter informação de professor

Gerar catalogo

Manter informações dos cursos

Sistema de cobrança Matrícula nos Cursos

Aluno

Diagrama de Use Case

Ator Use Case

Ator: Representa qualquer entidade que interage com o sistema. Pode ser uma pessoa, outro sistema, etc. Algumas de suas características são descritas abaixo:

• ator não é parte do sistema. Representa os papéis que o usuário do sistema pode desempenhar.

• ator pode interagir ativamente com o sistema.

• ator pode ser um receptor passivo de informação.

• ator pode representar um ser humano, uma máquina ou outro sistema.

Use Case: Como foi exemplificado acima , é uma seqüência de ações que o sistema executa e produz um resultado de valor para o ator. Algumas de suas características são descritas abaixo:

• Um “Use Case” modela o diálogo entre atores e o sistema.

• Um “Use Case” é iniciado por um ator para invocar uma certa funcionalidade do sistema.

• Um “Use Case” é fluxo de eventos completo e consistente.

• O conjunto de todos os “Use Case” representa todos as situações possíveis de utilização do sistema.

Descrição textual resumida do “Use Case” “Matrícula nos Cursos”: Dos sete “Use Case” apresentados no Diagrama, será descrito apenas o de “Matrícula nos Cursos”. Este “Use Case” é iniciado pelo aluno. Fornece os meios para o aluno criar, anular, modificar e consultar o formulário de matrícula de um dado semestre.

Descrição do Fluxo principal de eventos associados a esse “Use Case”.

Este “Use Case” inicia-se quando o aluno fornece a chave de acesso. O sistema verifica se a chave de acesso do aluno é valida (E1) e apresenta ao aluno a opção de selecionar o semestre atual ou o próximo semestre (E2). O aluno seleciona o semestre desejado. O sistema pede ao aluno para selecionar a atividade desejada: Criar, Consultar, Modificar, Imprimir, Anular ou Sair do Sistema. Se atividade selecionada é:

Criar, o subfluxo A1 (Criar uma Matrícula Nova) é executado. Consultar, o subfluxo A2 (Consulta da Matrícula) é executado. Modificar, o subfluxo A3 (Modificação da Matrícula) é executado. Imprimir, o subfluxo A4 (Imprimir a Matrícula) é executado. Anular, o subfluxo A5 (Anular Matrícula) é executado. Sair, o “Use Case” é encerrado.

Descrição dos Subfluxos Alternativos associados a esse “Use Case”.

A1. Criar uma Matrícula Nova. O sistema apresenta numa tela um formulário de matrícula em branco. O aluno preenche-o com 4 cursos oferecidos, como primeira escolha e preenche 2 cursos oferecidos como segunda escolha (E3). A seguir, o aluno submete o formulário preenchido ao sistema. Para cada curso de primeira escolha, o sistema irá verificar se os pré-requisitos são satisfeito (E4) e matricula o aluno no curso, se este estiver sendo oferecido, e se houver vaga (E5). O sistema imprime o formulário de matrícula (E6) e envia a informação para ser processado pelo sistema de cobrança (E7). O sistema fica disponível.

A2. Consulta da Matrícula. O sistema recupera (E8) e apresenta numa tela as seguintes informações para todos os cursos nos quais o aluno está matriculado: nome do curso, número do curso, dias da semana, horário, localização e número de créditos. Quando o aluno indica que terminou a consulta, o sistema fica disponível.

A3. Modificação da Matrícula. O sistema verifica se a data limite para mudanças não expirou (E9). O sistema recupera (E8) e apresenta as seguintes informações para todos os cursos nos quais o aluno está matriculado: nome do curso, número do curso, dias da semana, horário, localização e número de créditos. O sistema oferece um menu com as seguintes opções: anule um curso oferecido, adicione um curso oferecido ou sair do sistema. Se a atividade selecionada for:

• Anular um curso matriculado, o procedimento de anulação de um curso (A6), é executado.

• Adicionar um curso oferecido, o procedimento de adição de curso (A7) é executado.

• Sair do sistema, o sistema imprime formulário de matrícula (E6), envia a informação para ser processado pelo sistema de cobrança e fica disponível.

A4. Imprimir a Matrícula. O sistema imprime a matrícula do aluno (E6) e fica disponível.

A5. Anular Matrícula. O sistema recupera (E8) e apresenta as informações atuais da matrícula. O sistema pede ao usuário para confirmar a anulação da matrícula. Se efetuada, a matrícula é removida do sistema. Se a anulação não for confirmada, a operação é cancelada e o sistema fica disponível.

A6. Anular um curso escolhido. O aluno entra com o número do curso a ser anulado. O sistema pede ao usuário para confirmar a anulação do curso. Se efetuada, o curso é removido da matrícula do aluno. Se a anulação não for confirmada, a operação é cancelada e o sistema fica disponível.

A7. Adicionar um curso. O aluno entra com o número do curso a ser adicionado. O sistema verifica se os pré-requisitos são satisfeitos (E4) e adiciona o aluno ao curso, se o curso estiver sendo oferecido (E5) e o sistema fica disponível.

Descrição dos Subfluxos de Exceção.

(Parte 1 de 8)

Comentários